Guia de referência proccm

De Wikoleculares
Edição feita às 16h43min de 17 de setembro de 2012 por Bluewhale (Discussão | contribs)

(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para: navegação, pesquisa

Abaixo são explicados conceitos básicos, acompanhados de exemplos, para o uso da rede linux da sala de computação, bem como dos servidores do CCM, o fleming e o proccm. Se está buscando informações específicas ao fleming, visite o FAQ fleming e a página de ajuda.

Terminal

Antes de mais nada, é preciso saber alguma coisa sobre como funciona o terminal. Para abrir um, abra o menu principal, vá no item Acessórios, e depois em Terminal, ou então aperte Mod4+T.

Você verá algo do tipo:

jose@newton:~$

O que isso quer dizer? Que seu nome de usuário é 'jose', que você está em um computador chamado 'newton', na pasta '~' (isso é um apelido para /home/usuario), e que você é um usuário comum (o cifrão simboliza isso; se você estivesse logado como administrador, apareceria um '#' no lugar).

Se você estivesse na pasta Downloads, o que apareceria seria:

jose@newton:~/Downloads$

Isso é o terminal. Nele você executa comandos para absolutamente qualquer tarefa do sistema - podendo inclusive combinar comandos, o que torna tremendo seu poder e versatilidade. Ele é o principal meio de interação com o sistema: intefaces gráficas te permitem interagir com o sistema do jeito que quem a programou achava que era o melhor para o usuário; o terminal, por outro lado, não sofre desse tipo de limitações.

Serão discutidas, a seguir, algumas tarefas básicas.

Acesso e senhas

  • Acessar o fleming ou o proccm

Se quiser acessar de fora da sala de computação, rode no terminal:

ssh usuario@fleming.cecm.usp.br

ou

ssh usuario@proccm.redealuno.usp.br

Caso você esteja numa das máquinas da sala pró-aluno, basta:

ssh usuario@fleming

ou

ssh proccm
  • Alterar a senha do proccm

No terminal, dê o comando:

yppasswd

Preencha a senha antiga, e a seguir a nova, e confirme-a. A senha deve conter no mínimo 6 caracteres, incluindo necessariamente números e letras (maiúsculas ou minúsculas).

  • Alterar a senha do fleming

No terminal logado no fleming, execute:

passwd

E, como no caso do proccm, preencha sua senha antiga e a nova.

Manipulando arquivos e pastas

No Xfce, pode-se usar o Thunar, similar ao Windows Explorer, acessível pelo comando "thunar" em um terminal ou por meio de menus, para manipular arquivos e pastas. Entretanto, descreveremos aqui como manipular arquivos através do terminal. Antes, porém uma breve introdução.

O diretório raíz, equivalente, numa comparação grosseira, ao "Meu Computador" do Windows, é o

/ 

As pastas do sistema estão localizadas abaixo dele:

/home - contém as pastas dos usuários - por exemplo /home/foo é a pasta do usuário foo
/bin - contém os principais arquivos binários, ou seja, executáveis, ou seja, programas
/sbin - idêntico ao anterior, mas a execução é permitida apenas para o root (leia mais abaixo)
/media, /mnt - pastas onde são montados dispositivos removíveis, em geral (pen drives, CDs, etc)
/etc - contém arquivos de configuração do sistema
/dev - contém arquivos de dispositivos físicos. Por exemplo, /dev/sda representa o primeiro disco SCSI ou SATA do sistema, /dev/sdb o segundo, etc. Mas há muitos outros dispositivos... E sim, caso esteja se perguntando: seus dispositivos são realmente vistos como arquivos, pelo sistema. Já diz o mantra, Everything is a file.
/tmp - arquivos temporários em geral, pode ser escrito por qualquer usuário
/root - a home do root
/var - contém arquivos "variáveis", utilizados por alguns programas
/usr - armazena dados compartilhados
/boot - contém arquivos de inicialização
/lib - contém bibliotecas (libraries) - similares aos ".dll" do Windows
/scratch - espaço livre para bobagens. A gravação é permitida a todos os usuários

Para maiores informações, acesse este link.

Agora, alguns comandos básicos:

  • Para exibir os arquivos da pasta onde você está:
ls
  • Para entrar em alguma pasta:
cd PASTA
  • Para mover arquivos:
mv ARQUIVO DESTINO

Pode ser usado também para renomear arquivos, se "DESTINO" não for uma pasta.

  • Para copiar arquivos
cp ARQUIVO DESTINO
  • Para copiar pastas
cp -r PASTA DESTINO
  • Para apagar arquivos
rm ARQUIVO
  • Para apagar pastas (vazias)
rmdir PASTA
  • Para apagar pastas (não-vazias)
rm -r PASTA

Abrindo arquivos

  • Para editar arquivos de texto puro - algo extremamente frequente - há várias opções, e a escolha vai do gosto de cada um. Procure testar alguns para ver com qual você se identifica!
vim (:help para ajuda)
emacs (tecle Control+h t pra ajuda)
gedit (bastante intuitivo)
nano (tudo que você precisa está descrito no menu inferior)

Pode parecer que um editor de texto puro é uma coisa muito simples e de utilidade limitada. Entretanto, você perceberá que existem recursos muito úteis, especialmente quando se trata de programar e escrever em LaTeX.

Para abrir arquivos em geral, basta rodar programa nome_do_arquivo, no terminal. Por exemplo, para abrir um arquivo .pdf, você poderia rodar 'evince arquivo.pdf'. Alguns exemplos de programas:

  • Para ler arquivos de texto (puro): less, cat ou, é claro, seu editor preferido (vi, vim, emacs etc)
  • Para abrir arquivos .pdf: evince, xpdf, okular
  • Para abrir documentos do Office (Word, Excel, Powerpoint e análogos): libreoffice
  • Para abrir imagens: feh, ristretto, gthumb
  • Para rodar música ou vídeos: mplayer, vlc

Para descompactar arquivos de extensão:

  • .tar.bz2: tar -xjf
  • .tar: tar -xf
  • .tar.gz: tar -xzf
  • .zip: unzip
  • .rar: unrar x

Comandos diversos

  • Para abrir outra sessão do X (outro gerenciador de janelas):

Vá para um terminal (Ctrl+Alt+F[1-6]), e rode

startx -- :1

Essa sessão ficará no Ctrl+Alt+F8 (a primeira sessão é no Ctrl+Alt+F7). Note que o default é abrir no Xfce, independente do gerenciador de janelas escolhido no LigthDM; para alterar isso, é necessário editar o arquivo /home/foo/.xsession, colocando nele o comando para iniciar o seu gerenciador de janelas favorito. Alguns exemplos:

awesome
startfluxbox
evilwm
fvwm
ratpoison

Obs: Use apenas um deles, claro.

  • Para encontrar arquivos:
find -iname NOME
  • Para travar a tela:
xtrlock
  • Para ver espaço ocupado por vários arquivos:
du -h ALVO
  • Para fazer contas, álgebra, cálculo, e o que mais você imaginar de Matemática:
maxima

Exemplos mirabolantes

E, por que não, alguns exemplos mirabolantes, para dar uma ideia melhor do que o terminal é capaz?

  • Para mover todos os arquivos .mp3 da sua home que contêm a palavra 'Oasis' para a pasta Músicas:
find /home/usuario -name "*Oasis*.mp3" -exec mv {} /home/usuario/Músicas \;
  • Para baixar um site inteiro:
wget --recursive --page-requisites --html-extension --convert-links --domains website.org --no-parent www.website.org/tutorials/
  • Remover todos os arquivos da forma imagemXYZ.jpg, sendo X e Y números, e Z uma letra minúscula, da pasta atual:
rm imagem[0-9][0-9][a-z].jpg
  • Ordenar, tirar linhas duplicadas e tirar linhas vazias (nessa ordem) do arquivo 'aq.txt', e mandar a saída para o arquivo saida.txt:
cat aq.txt | sort | uniq | grep . > saida.txt
  • Mostrar a tabuada:
for i in {1..9}; do for j in $(seq 1 $i); do echo -ne $i×$j=$((i*j))\\t;done; echo; done

Tá bom, depois dessa, chega.

LaTeX

O LaTeX é um pacote feito para a preparação de textos impressos de alta qualidade, em especial quanto à formatação de símbolos matemáticos - essencial para fazer um bom relatório de numérico, ou um relatório de biomol com cara de sério. Ele foi desenvolvido por Leslie Lamport, a partir do programa TeX - criado pelo próprio Donald Knuth.

Gnuplot

O gnuplot é um programa para fazer gráficos, capaz inclusive de plotar dados extraídos de arquivos. Também muito útil para fazer relatórios.

Identificando usuários

  • Para saber quem é o usuário foo, dê o comando
finger foo

A busca é feita no nome completo e username de todos os usuários, mas apenas localiza palavras inteiras (por exemplo: "finger a" retorna um número pequeno de usuários).

  • Para mudar as informações que aparecem sobre você, logue-se no proccm e use
chfn

e mude o que for necessário. Repare que não é permitido a um usuário alterar o próprio nome. Para isso, procure algum dos admins.

  • Se você quer que seu plano seja exibido pelo comando finger, basta criar no seu home um arquivo de texto puro chamado .plan e descrever ali como você pretende conquistar o mundo.

Usando dispositivos USB

Dispositivos USB são montados automaticamente pelo Xfce.

Note que a gravação em dispositivos USB é feita utilizando cache. Portanto, retirar o pen drive sem desmontá-lo pode provocar perda de dados e até corrupção do sistema de arquivos. Para desmontar, clique com o botão direito sobre o ícone do dispositivo e clique em 'Ejetar', ou use:

umount /media/label

Sendo 'label' o nome que o sistema deu para o pen drive.

Impressão

  • Para imprimir arquivos

Para imprimir usando a Canon, o processo é bastante simples: basta mandar imprimir a partir do programa que você usa, seja lá qual for (firefox, evince, libreoffice, etc).

  • Para verificar a fila de impressão da Canon na máquina em que você está:
lpq -P canon

Se existe outro trabalho na frente do seu, ele será impresso antes, e apenas o root pode remover da fila trabalhos alheios. Por isso é importante removê-los caso eles fiquem pendentes, como descrito abaixo.

  • Para remover arquivos da fila de impressão - o que deve ser feito quando você desiste da impressão, seja por problemas com a impressora, ou falta de papel, ou X:
lprm #job

onde #job é o número do trabalho que aparece na lista do lpq.

Ver também